Pesquisadores desenvolvem sistemas inovadores de liberação de fármacos para tratamento e controle da Doença de Chagas

Tema será abordado no V Congresso da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas, que acontecerá on-line, de 1 a 3 de outubro

Arnóbio Antônio da Silva Júnior, palestrante

Pesquisadores usam a nanotecnologia na busca de alternativa promissora para o tratamento e controle da Doença de Chagas, infecção causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e transmitida pela picada do inseto barbeiro. Cerca de 6 milhões de pessoas são afetadas pela doença no mundo, principalmente em países tropicais, ocasionando cerca de 14 mil mortes anualmente. No Brasil, a Doença de Chagas é uma das quatro maiores causas de mortes por doenças infecciosas e parasitárias. O assunto será abordado no V Congresso da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF), que acontecerá on-line, de 1 a 3 de outubro.

Estudo realizado no Laboratório de Tecnologia e Biotecnologia Farmacêutica (TecBioFar-UFRN) do Departamento de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) mostrou que os sistemas nanotecnológicos (nanocarreadorres) são capazes de modificar a velocidade de liberação do fármaco no organismo, podendo reduzir o número de doses, ou o local onde o fármaco será liberado, aumentando a eficácia e diminuição dos efeitos colaterais, proporcionando comodidade e segurança ao paciente.

“Protozoários como Trypanosoma cruzi costumam penetrar em determinadas células e modificar a sua fisiologia e dos tecidos afetados, estabelecendo uma barreira biológica natural que limita o sucesso dos fármacos convencionais. Quando os sistemas nanocarreadores são desenhados baseados nestas modificações e alterações, podem trazer resultados promissores e alternativas inovadoras, desde o simples aumento de solubilidade até o direcionamento do fármaco para o local de ação”, explica o pesquisador Arnóbio Antônio da Silva Júnior, vice-chefe do Departamento de Farmácia da UFRN e membro do Conselho Deliberativo da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (FUNPEC).

Segundo ele, a plataforma permitirá o surgimento de medicamentos inovadores capazes de aumentar a eficiência do tratamento e diminuição de reações adversas pelos pacientes afetados, além de poder ser utilizada por outros pesquisadores que desejam estudar sobre Doença de Chagas e como o transporte dessas substâncias ocorre dentro de células infectadas.

Arnóbio aborda o assunto no dia 3 de outubro, às 9h, na sala 1 do evento. O Congresso é gratuito para associados. Para os demais participantes, o valor da inscrição é revertido em admissão como associado à ABCF. Os participantes receberão por e-mail o atalho para entrar nas salas e acompanhar as palestras e instruções para apresentação de trabalhos.

V Congresso da ABCF
De 1 a 3 de outubro
Inscrição: congresso.abcfarm.org.br
O Congresso é gratuito para associados. Para os demais participantes, o valor da inscrição é revertido em admissão como associado à ABCF.
Anuidade:
Graduandos (associados colaboradores): R$ 35,00
Pós-graduandos: R$ 85,00
Profissionais (incluindo pós-doutorandos): R$ 120,00

Compartilhe esta notícia:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp